In featured Séries

True Blood


Oioi leitores do time Daydream, je m'appelle Anne!

Acostumem-se, pois daqui para frente estarei com vocês a cada quinze dias [e por tempo indeterminado]. Sobre o que vou falar? Moda, arte, coisas de nerd... Deixarei o vento me levar.

Hoje, por exemplo, vou escrever sobre uma das séries mais fodásticas que já existiu na história da HBO: True Blood. Coisa bem rotineira na minha vida.

Sabe, eu relutei muito para dar uma chance à série. E isso porque 5 anos antes, Buffy A Caça-Vampiros tinha dado seu último adeus, e eu fiquei um pouco chocada com o evento. Não que eu seja muito fã da série hoje, mas enfim...

Entendendo True Blood

A série da HBO tinha uma premissa bem legal: humanos e vampiros vivendo "em paz" graças a esse tal de "True Blood". Que é sangue humano, só que sintético.

E tudo estava muito bem obrigada até que nossa mocinha, Sookie Stackhouse, resolveu se meter no meio deles e tudo desandou [na real ia tudo desandar mesmo e ela foi só uma desculpa...].

Temos nesse inicio a nossa mocinha virgem Sookie, e o misterioso vampiro Bill [sim, isso é muito Buffy e Angel; e sim, foi por isso que relutei em assisti a série e perdi metade da primeira temporada]. 

True Blood começou assim. Mas ao longo de sete anos, muitas criaturas também apareceram na série e deram seu oi. Lobisomens, panteras, pessoas que podiam se transformar no animal que quisessem [inclusive coelhinhos], fadas, humanos comuns, bruxas e fantasmas... Mas óbvio que sempre focando a atenção no principal, vampiros. #amo

Na série, e isso era muito legal, nós tínhamos toda uma cadeia de poderes entre os vampiros. Desde um xerife para cada região, até um rei e além... E nós passamos por todas elas até não sobrar nenhuma [só que não né, porque sempre aparecia alguém mais poderoso para tentar botar ordem na casa].

True Blood também abordou temas bem interessantes. Como o vicio em drogas, que no caso em questão era sangue de vampiro, e o respeito pelos mais velhos [entenda-se vampiros mais velhos]. Pois é, um vampiro tinha infinito respeito pelo vampiro que o transformou em imortal, e só tinha a liberdade de fazer o quisesse quando fosse libertado por seu criador.

Puxa, temos muitas coisas legais para falar sobre True Blood, mas esse texto já está ficando muito longo e nem sei se vão ler até aqui.

...............->->-.......♡.......-<-<-...............

Auf Wiedersehen docinhos, e até breve...

Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu cometário ;)